Municípios da Grande BH estão menos vulneráveis à violência juvenil, aponta relatório

Municípios da Grande BH estão menos vulneráveis à violência juvenil, aponta relatório

com informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

Órgãos públicos, movimentos sociais e pessoas que trabalham em prol da redução da violência contra as juventudes em Minas Gerais receberam nesta semana uma boa notícia: o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência (IVJ) de diversos municípios do estado apresentaram queda acentuada com base em dados de 2010. Betim, que amargava a 17ª posição no ranking das cidades mais violentas do país em 2007 – índice considerado muito alto -, figura agora na 121ª posição. Ibirité, Ribeirão das Neves e Contagem, todas na Região Metropolitana de BH, passaram de IVJ’s médios para índices nomeados ‘baixos’. Belo Horizonte saltou da 90ª para a 190ª posição, também recebendo a classificação “baixo”.

Minas Gerais também é o estado de extremos: enquanto Pouso Alegre, ao sul de Minas, foi apontada como o município de menor IVJ entre todos os municípios pesquisados (Índice 0,153), Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, ocupa a pior posição em relação às cidades de Minas Gerais (IVJ 0,330).

A Secretária Executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e responsável técnica pelo IVJ-Violência, Samira Bueno, explicou que nacionalmente houve uma importante melhora do IVJ-Violência. “Possivelmente como resultado das políticas de maior proteção e inserção social dos jovens”, aponta. Já o conselheiro do FBSP e supervisor técnico do indicador, Renato Sérgio de Lima, pontuou que ainda há muito espaço para se avançar na agenda de redução de vulnerabilidade juvenil no país.
O relatório aponta que, de maneira geral, a maior parte das cidades brasileiras avaliadas pelo Índice reduziram sua vulnerabilidade à violência entre 2007 e 2010. Acesse o documento completo no site do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

IVJ
O Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) é desenvolvido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), a pedido da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e do Ministério da Justiça (MJ). O IVJ baseia-se nos dados consolidados pelo último Censo Demográfico, realizado em 2010, e diz respeito a questões que influenciam a vida de jovens de 12 a 29 anos de idade nos municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes. Sua composição leva em conta quatro variáveis: violência (homicídios e acidentes de trânsito), características individuais (escolaridade e uso de drogas), contexto socioeconômico (renda, desigualdade e escolaridade) e segurança pública.