Jovens da Pastoral da Juventude discutem racismo e violência policial

IMG_5004

Na tarde de 30 de agosto, sábado, o Fórum das Juventudes da Grande BH conduziu um workshop no curso “Eu quero ver/fazer acontecer”, promovido pelo Instituto Pastoral da Juventude (IPJ – Leste II) em Belo Horizonte. Mais de 30 jovens participaram do evento, vindos/as de pastorais atuantes em cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. A proposta do curso era capacitar lideranças juvenis para qualificarem seus trabalhos no campo das políticas públicas e, principalmente, fomentarem a criação de Conselhos Municipais de Juventude em suas cidades.

Durante o workshop, integrantes do Fórum apresentaram o processo de construção da campanha Juventudes contra Violência e a plataforma política de mesmo nome, atualmente a principal ação da campanha. Especial destaque foi dado aos temas Acesso à Justiça; Fortalecimento do Sistema Socioeducativo; Novo Modelo de Segurança Pública e Desmilitarização das Polícias e Enfrentamento ao Genocídio da Juventude Negra, quatro dos dez eixos programáticos da plataforma. “Ao longo da apresentação, os/as jovens se mostraram bastante interessados no trabalho que desenvolvemos, com muitas perguntas e comentários”, conta Priscylla Ramalho, uma das representantes do Observatório da Juventude da UFMG no Fórum e responsável pela condução do workshop.

O curso também promoveu debates sobre diferentes formas de participação social e sobre o Plebiscito Popular pela Reforma Política. Além disso, os/as jovens presentes compartilharam, a partir de perguntas orientadoras, a realidade de seus municípios em relação à participação política, com foco nos conselhos de juventude.

Atividades formativas
Lançada em agosto deste ano e fruto de um intenso processo colaborativo entre grupos, coletivos e movimentos atuantes no campo das juventudes e direitos humanos, a plataforma política Juventudes contra Violência estabelece 10 pautas prioritárias para o enfrentamento à violação dos direitos das juventudes. São propostas que buscam assegurar o desenvolvimento integral dos/as mais de 52 milhões de jovens brasileiros/as com dignidade e cidadania.

Grupos, coletivos e organizações da sociedade civil em todo o país podem realizar atividades livres que dialoguem com os conteúdos da plataforma. São bem-vindos debates, seminários, rodas de conversa, batalha de rimas, saraus e outras formas criativas de estimular o debate em torno dos eixos programáticos. Clique aqui para saber mais.

Veja mais fotos do evento em nossa página do Facebook.