Jovens da Oi Kabum! compartilham histórias pessoais em encontro formativo da campanha “Juventudes contra Violência”

Jovem avalia atividades desenvolvidas durante o encontro formativo.

Jovem avalia atividades desenvolvidas durante o encontro formativo.

Relatos pessoais e participação intensa marcaram o encontro do Fórum das Juventudes com estudantes da Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia na manhã da quinta-feira, 24 de outubro. A atividade integra a série de encontros formativos da campanha “Juventudes contra Violência” e tem como propósito sensibilizar jovens para as diferentes manifestações da violência em seus cotidianos. A metodologia de trabalho inclui a realização de dinâmicas, proposições e discussões mediadas, além da apresentação de estatísticas relativas à incidência do fenômeno em Belo Horizonte, Minas Gerais e no Brasil.

Para além dos sentidos mais comuns associados à violência, como agressão, violação e confronto, os participantes relacionaram o fenômeno às consequências que ele acarreta. Foram mencionadas as palavras dor, sofrimento e resposta. “Acho que toda violência gera uma resposta, mesmo que não seja na hora, para quem te violou”, pontuou uma das presentes.  Outro jovem argumentou que “a ação violenta não necessariamente vai agredir o outro física ou verbalmente, mas, a partir do momento em que uma ação priva alguém de ter algo e essa pessoa nem percebe, essa também é uma forma de violação”. Os jovens realçaram que a violência acontece também no “não-dito” e em posturas omissas: “acho que nem todo mundo que comete uma violência tem consciência disso”.

Os jovens compartilharam com os colegas relatos próprios envolvendo a discriminação racial, de gênero e de classe e a descoberta e a vivência da homossexualidade, que não raro é afetada pela violência homofóbica. “Agressão verbal é o que eu sinto o tempo todo, até de brincadeira, e isso é feio. A brincadeira é um ato de violência também”, afirmou uma das jovens enquanto relatava atos desrespeitosos contra ela e sua companheira em espaços públicos. Questionados sobre o que silencia o sujeito violentado, os participantes mencionaram a vergonha e o medo. “Existe o medo de reagir contra a pessoa. Como você vai confrontar o policial que te agride? Como você confronta sua mãe?”, exemplificou uma das jovens. Nesse sentido, hierarquias e relações de poder foram apontados como componentes que dificultam o enfrentamento à violência.

Veja mais fotos do encontro em nossa página no Facebook.

A Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia

A Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia é um programa do Oi Futuro, desenvolvido em quatro capitais brasileiras desde 2008 – Recife, Salvador, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Na capital mineira, a Oi Kabum! é implementada pela ONG Associação Imagem Comunitária em parceria com o Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital do Estado de Minas.

A escola atua no sentido de ampliar as possibilidades de formação e expressão artística e tecnológica junto a jovens de Belo Horizonte e Região Metropolitana. A proposta é fazer com que os educandos se apropriem, por meio de um pensamento ético e político, das tecnologias da comunicação e da informação em processos criativos. Espera-se, dessa forma, uma atuação mais qualificada nos campos da arte e da cultura.

A formação tem duração de 18 meses e é voltada a estudantes ou jovens formados na rede pública de ensino. A Oi Kabum! Belo Horizonte oferece especialização em três áreas: Artes Visuais; Audiovisual e Produção Multimídia. Além da formação específica, os jovens participam de uma série de atividades paralelas e complementares, voltadas à pesquisa, ao trabalho coletivo e á gestão participativa e autônoma.

 

A campanha

“Juventudes contra Violência” é uma campanha de repúdio às violações dos direitos juvenis e de mobilização social pelo fim da violência contra a população jovem de Belo Horizonte e cidades da Região Metropolitana. Lançada em maio deste ano, a iniciativa foi construída de maneira colaborativa junto a diversos grupos, movimentos e entidades formadas por jovens ou que desenvolvem atividades com juventudes.

Desde o início de 2012, o enfrentamento à violência contra as juventudes é a principal bandeira de lutas do Fórum das Juventudes da Grande BH. Em novembro desse mesmo ano, o Fórum lançou a Agenda de Enfrentamento à Violência contra as Juventudes, documento que apresenta um diagnóstico sobre o fenômeno da violência contra as juventudes no contexto local e levanta prioridades para as políticas públicas. A Agenda serviu de base para a construção da campanha colaborativa e segue sendo a principal referência das outras atividades do Fórum.

Durante a segunda quinzena de outubro e todo o mês de novembro, pelo menos dezoito escolas e espaços comunitários de Belo Horizonte e Região Metropolitana acolherão os encontros formativos da Campanha. Em 2013, o Fórum conta com a parceria do Instituto C&A, por meio do Programa Redes e Alianças.