Fórum realiza atividade com formadorxs do curso de atualização JUVIVA

IMG_5082

Mais de 30 formador@s e tutor@s do curso de atualização JUVIVA participaram de atividade formativa promovida pelo Fórum das Juventudes na terça-feira passada, 2/9. Iniciativa da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação (SECADI/MEC), o JUVIVA tem como objetivo sensibilizar educador@s para as questões que afetam principalmente a juventude negra, refletindo sobre o papel da escola no enfrentamento às violências contra a população jovem. O encontro foi realizado na sede do Observatório da Juventude, projeto de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Educação da UFMG responsável pela coordenação do curso, que acontece na modalidade Educação a Distância.

Divididos em grupos, os/as participantes discutiram os temas Nova Política sobre Drogas, Novo Modelo de Segurança Pública e Desmilitarização das Polícias; e Enfrentamento ao Genocídio da Juventude Negra, três eixos da plataforma política Juventudes contra Violência. As discussões foram socializadas em plenária, quando também foram distribuídos materiais da plataforma. “Houve apontamentos sobre a radicalidade de algumas propostas ligadas a esses eixos, que poderiam torná-las inviáveis do ponto de vista da política formal. Esclarecemos, no entanto, que além de incidir no processo eleitoral, nossas pautas buscam incentivar o debate público sobre esses temas”, comenta Priscylla Ramalho, uma das representantes do Observatório da Juventude da UFMG no Fórum e responsável pela condução da atividade.

Todos os formadores/tutores do curso JUVIVA são, também, estudantes de pós-graduação em diferentes instituições de ensino superior do país, atuando principalmente na área de educação.

Atividades formativas
Lançada em agosto deste ano e fruto de um intenso processo colaborativo entre grupos, coletivos e movimentos atuantes no campo das juventudes e direitos humanos, a plataforma política Juventudes contra Violência estabelece 10 pautas prioritárias para o enfrentamento à violação dos direitos das juventudes. São propostas que buscam assegurar o desenvolvimento integral dos/as mais de 52 milhões de jovens brasileiros/as com dignidade e cidadania.

Grupos, coletivos e organizações da sociedade civil em todo o país podem realizar atividades livres que dialoguem com os conteúdos da plataforma. São bem-vindos debates, seminários, rodas de conversa, batalha de rimas, saraus e outras formas criativas de estimular o debate em torno dos eixos programáticos. Clique aqui para saber mais.

Veja mais fotos do encontro em nossa página do Facebook.