Estudantes da EJA no bairro Taquaril, em BH, debatem racismo e segurança pública no país

IMG_4983

Na noite da última quarta-feira, 27 de agosto, mais de quarenta estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal Alcida Torres, no bairro Taquaril (região Leste de BH), participaram de discussões ligadas à segurança pública, ao acesso à justiça e ao genocídio da juventude negra no país. O debate aconteceu após a exibição do documentário “Menino Joel“, que trata do assassinato de Joel da Conceição Castro, de 10 anos, em 2010, durante uma ação policial em Nordeste de Amaralina (periferia de Salvador).

O debate integra as atividades do Cineclube Sabotage, projeto da ONG Oficina de Imagens que promove sessões de cinema comentadas em escolas públicas de BH. O encontro contou, também, com a parceria de integrantes do Fórum das Juventudes da Grande BH, que mediaram as discussões a partir de três eixos de sua plataforma política Juventudes contra Violência: Acesso à Justiça; Enfrentamento ao Genocídio da Juventude Negra e Novo Modelo de Segurança pública e Desmilitarização das Polícias.

Atividades formativas
Lançada em agosto deste ano e fruto de um intenso processo colaborativo entre grupos, coletivos e movimentos atuantes no campo das juventudes e direitos humanos, a plataforma política Juventudes contra Violência estabelece 10 pautas prioritárias para o enfrentamento à violação dos direitos das juventudes. São propostas que buscam assegurar o desenvolvimento integral dos/as mais de 52 milhões de jovens brasileiros/as com dignidade e cidadania.

Grupos, coletivos e organizações da sociedade civil em todo o país podem realizar atividades livres que dialoguem com os conteúdos da plataforma. São bem-vindos debates, seminários, rodas de conversa, batalha de rimas, saraus e outras formas criativas de estimular o debate em torno dos eixos programáticos. Clique aqui para saber mais.

Veja outras fotos do encontro em nossa página do Facebook.