Ações

Mobilização

Mobilizar sociedade civil e poder público para as questões juvenis é uma preocupação permanente do Fórum das Juventudes. Em todas essas ações, buscamos desenvolver métodos que favoreçam processos participativos e dialógicos, nos quais as pessoas e grupos possam se implicar ativamente. Atualmente, nossa principal frente de mobilização é a campanha Juventudes contra Violência, iniciativa de repúdio às violações dos direitos juvenis contra a população jovem de BH e Região Metropolitana.

No âmbito da campanha e em parceria com diferentes grupos, coletivos e movimentos juvenis da Grande BH, foram realizadas a Jornada Maio pelo Fim da Violência contra as Juventudes (maio/2013), o circuito educativo Juventudes contra Violência (outubro a dezembro/2013) e as atividades formativas descentralizadas ligadas à plataforma política Juventudes contra Violência (agosto a dezembro/2014). Essas iniciativas envolveram cerca de 1800 jovens em mais de 75 atividades político-culturais ligadas à campanha, a exemplo de saraus, batalhas de rimas, mostras culturais, cineclubes, intervenções teatrais e rodas de conversa.

O evento A juventude oKupa a cidade é outra importante estratégia mobilizadora do Fórum: realizado desde 2011 em parceria com o Observatório da Juventude da UFMG, o encontro acolhe a discussão de temas ligados aos direitos juvenis e dá visibilidade a diferentes manifestações artístico-culturais e políticas da juventude, especialmente das periferias. O oKupa é, assim, um espaço importante para o encontro de culturas juvenis periféricas e para a produção de sentidos e reelaboração da experiência dos/das jovens na cidade. Mais de duas mil pessoas já participaram das seis edições do evento.

Periodicamente, também realizamos encontros ampliados para discutir assuntos caros ao coletivo e acolher outras pessoas e grupos que queiram se somar à rede. Além disso, nos articulamos para atender a convites de participação em educativo-culturais que dialoguem de alguma forma com os direitos juvenis, vindos a programas e projetos do poder público ligados à juventude; centros de internação socioeducativos; escolas; instituições de ensino superior; coletivos culturais; organizações não-governamentais; movimentos estudantis e instituições religiosas.

Incidência política

Influenciar a elaboração, a execução e a avaliação das políticas públicas de juventude em BH e Região Metropolitana estão entre os objetivos do Fórum desde sua criação. O coletivo integrou duas gestões do Conselho Municipal de Juventude (de 2006 a 2008 e de 2013 a 2015) e é parte da atual gestão. Além disso, tem se envolvido ativamente com todas as edições da Conferência Municipal de Juventude. Desde 2011, o coletivo também desempenha um papel fundamental no acompanhamento dos processos ligados ao Centro de Referência de Juventude, equipamento público destinado às juventudes da capital e da Região Metropolitana. O Fórum participa, ainda, de audiências públicas em nível municipal e estadual para a discussão de temas caros às agendas de luta do coletivo.
Outra ação fundamental no apoio a processos de incidência política do Fórum é nossa plataforma política Juventudes contra Violência, que estabelece 10 pautas prioritárias para que a sociedade civil e os governos possam se comprometer com o enfrentamento às violações de direitos sofridas pela população jovem. Fruto de uma parceria entre diferentes grupos, movimentos e coletivos juvenis de Minas Gerais e de outros estados, a iniciativa foi lançada em agosto de 2014 e reúne propostas que buscam assegurar o desenvolvimento integral dos/as mais de 52 milhões de jovens brasileiros/as com dignidade e cidadania.

Educação popular

Nos últimos anos, o Fórum das Juventudes vem se aprofundando em reflexões e práticas ligadas à educação popular no âmbito dos processos educativos desenvolvidos junto a juventudes, abordando temas ligados às identidades e culturas juvenis, ao território e ao direito à cidade; à participação social e às políticas públicas de juventude e às violações de direitos contra a população jovem, especialmente a negra e de periferia. Prezamos pela construção colaborativa do conhecimento, a partir dos saberes prévios das/os sujeitas/os educandos e sob uma perspectiva contextualizada, orientada para a compreensão crítica da realidade e para a transformação social.

O coletivo desenvolve processos educativos junto a escolas, instituições comunitárias, organizações não governamentais, centros de internação socioeducativos, programas e projetos públicos de atendimento a jovens, instituições de ensino superior e grupos e coletivos socioculturais, já tendo alcançado mais de dois mil jovens de BH e Região Metropolitana. Além das atividades formativas ligadas à campanha e à plataforma Juventudes contra Violência, o grupo já desenvolveu atividades junto ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Adolescentes e Jovens – Projovem Adolescente e a núcleos associados ao Programa de Controle de Homicídios Fica Vivo!, além de uma jornada formativa continuada junto a três núcleos juvenis de Belo Horizonte e Região Metropolitana: Mafiossos (Santa Luzia), Nosso Sarau (Sarzedo) e Família Dandara (Belo Horizonte).

Comunicação

A comunicação é um investimento importante do Fórum para a mobilização e a articulação permanentes da rede. O coletivo alimenta sítios próprios na internet e páginas em redes sociais, com conteúdos orientados tanto para a visibilidade das ações do Fórum, dos grupos que o integram e de parceiros/as, quanto para a divulgação ampliada de eventos, oportunidades, pesquisas e outros temas relacionados ao universo juvenil. Com frequência, também são produzidos materiais impressos ligados às principais ações do coletivo, como panfletos, folders, cartazes, adesivos e publicações, além de infográficos para facilitar o entendimento de questões ligadas à juventude. O Fórum também aposta no relacionamento com veículos de imprensa, de maneira a garantir mais um espaço de visibilidade e legitimidade para suas ações. Com frequência, o coletivo é acionado por essas mídias - especialmente educativas, públicas e estatais - para demandas ligadas a ações promovidas pelo Fórum ou a outros temas relacionados ao universo juvenil.

Deixe uma resposta