A juventude oKupou a cidade

A quarta edição do “A Juventude oKupa a Cidade” foi uma verdadeira demonstração da capacidade de somar forças para criar espaços que busquem a superação da violência e a construção de uma nova realidade para as juventudes. Realizado na última quarta-feira, 8 de maio, o encontro reuniu cerca de 400 pessoas, entre jovens, educadores, artistas e autoridades no CentoeQuatro, no Centro de BH. Na ocasião, cerca de 30 organizações se uniram à campanha Juventudes contra Violência, lançada durante a programação que durou mais de três horas.

A noite foi conduzida pelo MC Kdu, que acrescentou a cada apresentação um tom de poesia e música e deu um ritmo especial ao encontro. No palco, subiram o MC Russo e os coletivos As Mina Rima e Casa Amarela, que deram um show de improviso, rimas e dança, deixando a marca de uma juventude urbana criativa que vem ocupando os espaços da cidade.

O espaço ainda contou com a reedição da performance Concerto para o Erro, com Renato Negrão. O diálogo entre poesia, imagens e projeções surpreendeu o público com um chamado à discussão sobre temas existenciais próprios das juventudes contemporâneas. O impacto da obra foi a deixa para o Teatro do Oprimido. Através de uma cena curta, baseada em depoimentos reais de jovens colaboradores do Fórum das Juventudes da Grande BH, os integrantes do grupo fizeram um convite ao público a intervir e propor saídas às situações de opressão institucional contra a juventude. Entre as muitas intervenções, uma teve destaque: o apelo à organização das juventudes, à união de forças para a transformação das realidades e a superação das diversas formas de opressão.

Laila Vieira, integrante do Fórum das Juventudes e atriz da cena proposta pelo Teatro do Oprimido, comenta que “o desafio da intervenção foi colocar em uma proposta cênica várias situações de violações dos direitos da juventude, e fazer com que o público entrasse na cena”. E faz uma consideração importante: “já faz tempo que a juventude de Belo Horizonte deixou de ser vítima. É oprimida, mas luta contra a opressão. A juventude já está ocupando esta cidade”.

 

A campanha está na rede e nas ruas

Após a abertura cultural, os integrantes do Fórum das Juventudes Flávia Nolasco, Bruno Vieira e Luciano Jesus apresentaram o histórico, o processo criativo e as peças da campanha, que tem uma proposta colaborativa.

A equipe do Portal EMdiálogo teve uma participação especial no evento: logo na entrada, foi montado um miniestúdio de fotografia, onde os jovens puderam expressar o que consideravam a violação dos seus direitos nas suas próprias imagens.

No site da campanha, há espaço para o envio de imagens pessoais e depoimentos sobre violação dos direitos das juventudes. O material também servirá de acúmulo para as discussões de diversas atividades programadas para todo o ano.

Para além do mundo virtual, a campanha já está nas ruas. O mês de maio será marcado pela jornada “Maio pelo Fim da Violência contra as Juventudes”, com uma programação de atividades articuladas com vários grupos e entidades culturais por toda BH e região metropolitana. O calendário completo de ações pode ser conferido aqui.

 

Gente que oKupa

E teve também gente que entende de oKupação! Mais de 20 jovens das comunidades Dandara e Guarani-Kaiowá estiveram presentes. Flávia Nolasco, militante das Brigadas Populares, destacou a importância dos jovens saírem da comunidade para compartilhar experiências com outras juventudes de Belo Horizonte: “Estamos começando a fazer um trabalho de organização da juventude da Dandara, definindo as pautas da juventude e as tarefas a serem realizadas lá. Para eles é muito importante espaços como esse, o contato com outros jovens, outras pautas que fortalecem o trabalho que está sendo feito com os jovens das ocupações de Belo Horizonte e região metropolitana”.

Ana Beatriz, 17 anos, moradora da comunidade Dandara, comentou sobre o caráter participativo da campanha e a importância de que o debate inclua as pautas da juventude das ocupações. “Foi muito bom vir aqui, conversar com as pessoas, porque muitas vezes ficamos excluídos das discussões. É um espaço que ajuda a gente a aprender a nos organizar para lutar pelas nossas causas”.

 

Presença das autoridades

A quarta edição do oKupa contou com a presença de autoridades ligadas aos temas de juventude e direitos humanos, como os vereadores Arnaldo Godoy e Gilson Reis, o Subsecretário de Estado de Juventude Gabriel Azevedo, a diretora do programa Fica Vivo! Michelle Duarte e representantes dos gabinetes do Deputado Estadual André Quintão e do Deputado Federal Nilmário Miranda.

 

Pequenos oKupantes

Gente bem pequena também oKupou a cidade na noite de quarta-feira. O oKupinha foi um espaço pensado pelos integrantes do Fórum das Juventudes para o cuidado e recreação das crianças, filhos e filhas dos jovens presentes no evento. A iniciativa permitiu aos pais uma participação integral no evento com a tranquilidade pela segurança dos pequenos.

O espírito de colaboração dos integrantes das entidades parceiras do Fórum das Juventudes foi fundamental para o sucesso do oKupa. Vale dizer que a produção contou com a grande força da equipe do CentoeQuatro, que não só cedeu o espaço para o evento, mas ajudou a construir mais essa plataforma de organização e luta das juventudes de Belo Horizonte.

A juventude oKupou a cidade, para que a cidade se oKupe da juventude. A gente se vê nas ruas!