Rolezinho AME: afetos e reflexões ocuparam Santa Luzia!

IMG_5913

_Vocês escolheram certo! Sou a pessoa que mais gosta de abraçar nesta vida! E mais ainda abraçar gente jovem, que é cheia de energia boa! – Foi a resposta de uma senhora à proposta de um jovem que, de repente, ocupou sua garagem em silêncio e com uma placa pendurada no pescoço: “troco um abraço por um sorriso”. Não só retribuiu o convite com olhar brilhante e sorrisos enormes, como também distribuiu abraços também a outras pessoas que acompanhavam.

Ao mesmo tempo, na calçada em frente, um grupo distribuía flores de papel e poesias a quem esperava pelas linhas de ônibus 4335, 4315 e 4025, que circulam na região do Palmital. Outra turma amarrava uma fitinha no pulso de pessoas que, do portão de casa, olhavam com curiosidade aqueles mais de quarenta jovens que caminhavam ao longo da Av. Yolanda Teixeira da Costa, que divide os bairros Cristina e Palmital, na periferia de Santa Luzia. Uma terceira turma colava lambe-lambes em postes, lixeiras e outros pontos de visibilidade ao longo da avenida: “+ Amor; – Ódio”; “Já parou para olhar o sorriso de uma criança hoje?”; “Encontre fé naquilo que lhe faz bem”.

IMG_5905

O grupo caminhou por mais de três quilômetros sob o sol forte daquela manhã, sem desanimar. O trajeto começou na Praça da Savassi, um espaço de referência no Palmital: aos sábados, centenas de pessoas passam pela feirinha de comida, roupas e eletrônicos que é montada no espaço, que também conta com intensa atividade comercial ao redor. Passou pelas avenidas Yolanda Teixeira da Costa e Antônio de Pinho Tavares, oferecendo abraços e sorrisos a salões de beleza, lojas de roupas, floriculturas, oficinas mecânicas e mercearias. O encerramento aconteceu no terreno que fica ao fundo da sede da Melhor Idade, da Prefeitura Municipal, onde foi servido almoço a todas as pessoas que participaram.

Rolezinhos

Mais que jovens juntos distribIMG_5991uindo abraços, sorrisos e palavras de afeto, a movimentação na manhã de sábado no Palmital tinha nome, organizadores e planejamento definido. Batizada de AME, a intervenção foi concebida pelo coletivo de breakdance Mafiossos, de Santa Luzia, e é parte de um processo formativo realizado pelo Fórum das Juventudes junto a três coletivos juvenis da Grande BH. Além do grupo Mafiossos, participam da jornada um núcleo juvenil da Ocupação Dandara, na capital mineira; e o Nosso Sarau, atuante em Sarzedo, na Grande BH.

As discussões envolvem identidades, formas de ocupação da cidade, articulação de redes e estratégias para potencializar a ação coletiva dos grupos. Todos esses temas estão articulados ao enfrentamento à violência contra as juventudes, a partir dos conteúdos da plataforma política Juventudes contra Violência, lançada pelo Fórum em agosto de 2014.

IMG_6014

Além de participarem de formações, os grupos estão preparando uma vivência para os outros dois núcleos integrantes da jornada. Apelidados de rolezinhos, os encontros acontecem nos territórios em que vivem/atuam esses grupos e são abertos à participação de outras pessoas. A intervenção planejada pelo Nosso Sarau aconteceu no dia 8 de novembro, em Sarzedo. Já o Festival Família Dandara, organizada pelo coletivo de jovens residentes nessa ocupação, está programado para o dia 15 de novembro.

Mafiossos

Formado há mais dois anos em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o grupo se dedica à vivência e à disseminação da cultura hip hop no município, especialmente do break (um tipo de dança de rua). São mais de 10 jovens com idade entre 17 e 23 anos, que se reúnem e se apresentam em diferentes espaços públicos da cidade, incluindo praças, calçadões e escolas. Os Mafiossos também se articulam com outros movimentos artístico-culturais da cidade e têm interlocução com programas públicos e organizações não governamentais que atuam junto a jovens, como o Programa Fica Vivo! e o Instituto de Promoção e Desenvolvimento Social Tucum.

mafiossos-31